Opinións

Aquí atoparedes metáforas, esbozos, soños, xuízos, epítomes, pareceres, candores, entusiasmos, se acaso unha revelación, mesmo un feitizo… compartímolas todas e todos, son todas nosas, as que irán dando forma a esta idea que é so iso: pezas soltas, illas, anotacións nun caderno en adiante. As nosas opinións.

O último

O último

Procuramos outra mirada sobre o acontecer no país.

Nick Cave: novo disco e obra lírica

Gonzalo Trasbach celebra o encanto de Cave e o seu escuro lirismo máxico, os seus achados espirituais, ateigados de historietas de infortunios, tumultos, liortas, unha especie de delirio que arremete contra a soidade.

Só unha hora

Lembranzas en tren de Ignacio Castro sobre Isaac Díaz Pardo.

“O negro não existe. Tal como o branco não existe”

PARÊNTSE. Esta é a oitava parte da série ‘Os leóns Africanos’ que Cheykh Fayé começou a contar, mirando a história do ponto de vista dos leões e não do ponto de vista dos caçadores, como recomendara Chinua Achebe. Fazemos uma pausa para compreender Franz Fanon, um africano nascido na Martinica Francesa, através da leitura de Wallerstein da sua obra.

Os mega-incêndios, impossível os dominar

Face aos mega-fogos, o nosso pensamento sobre o fogo já não suporta, não serve para resolver a questão prática de como lidar com eles, adverte a autora, e recomenda um maior conhecimento das interacções humanas com o ecossistema.

Nick Cave: novo disco e obra lírica

Gonzalo Trasbach celebra o encanto de Cave e o seu escuro lirismo máxico, os seus achados espirituais, ateigados de historietas de infortunios, tumultos, liortas, unha especie de delirio que arremete contra a soidade.

Só unha hora

Lembranzas en tren de Ignacio Castro sobre Isaac Díaz Pardo.

“O negro não existe. Tal como o branco não existe”

PARÊNTSE. Esta é a oitava parte da série ‘Os leóns Africanos’ que Cheykh Fayé começou a contar, mirando a história do ponto de vista dos leões e não do ponto de vista dos caçadores, como recomendara Chinua Achebe. Fazemos uma pausa para compreender Franz Fanon, um africano nascido na Martinica Francesa, através da leitura de Wallerstein da sua obra.

Os mega-incêndios, impossível os dominar

Face aos mega-fogos, o nosso pensamento sobre o fogo já não suporta, não serve para resolver a questão prática de como lidar com eles, adverte a autora, e recomenda um maior conhecimento das interacções humanas com o ecossistema.