Entrevistas

Buscamos voces que reflictan as mudanzas no mundo, persoas que traballan como axentes dos cambios; evidencias que cuestionen as estruturas sociais e culturais e as desigualdades que condicionan nosas experiencias. Estas son as nosas entrevistas.

SANTIAGO QUIROGA
GUILLERMO RENDUELES
MARCOS CELEIRO

“O contexto é favorábel o independentismo e as crises hai que aproveitalas”

“O noso pobo funciona desa maneira, con momentos de calma e momentos de golpes cara adiante. Estamos nun momento de cambio”, advirte Cris Rodrigues, portavoz de Causa Galiza, organización pendente dun proceso xudicial no que o Estado reclama a súa ilegalización e nove dos seus militantes están ameazados con penas de cadea. Mentres, a labor da toupa continúa. “Estoupará todo e ninguén saberá explicar ben que pasou. Foi a toupa”.

“A humanidade acaba de receber o que pode ser considerado como o maior alerta da História”

“Uma economia é simplesmente o jeito que tomamos conta um do outro, que todo trabalho real é um trabalho de cuidado. Como podemos convencer uma população moralista que a coisa mais importante a fazer agora é trabalhar menos?”, diz David Graeber à revista Disenz numa das últimas entrevistas do pensador britânico, que morreu a 2 de Setembro, e na qual reflecte sobre a pandemia e a sociedade do trabalho, entre outras questões.

“O contexto é favorábel o independentismo e as crises hai que aproveitalas”

“O noso pobo funciona desa maneira, con momentos de calma e momentos de golpes cara adiante. Estamos nun momento de cambio”, advirte Cris Rodrigues, portavoz de Causa Galiza, organización pendente dun proceso xudicial no que o Estado reclama a súa ilegalización e nove dos seus militantes están ameazados con penas de cadea. Mentres, a labor da toupa continúa. “Estoupará todo e ninguén saberá explicar ben que pasou. Foi a toupa”.

“A humanidade acaba de receber o que pode ser considerado como o maior alerta da História”

“Uma economia é simplesmente o jeito que tomamos conta um do outro, que todo trabalho real é um trabalho de cuidado. Como podemos convencer uma população moralista que a coisa mais importante a fazer agora é trabalhar menos?”, diz David Graeber à revista Disenz numa das últimas entrevistas do pensador britânico, que morreu a 2 de Setembro, e na qual reflecte sobre a pandemia e a sociedade do trabalho, entre outras questões.