Arquivo: historia

Não deixes a tua língua cortar a tua garganta

O bom conselho e o sentido comum não são respeitados pelos seus homens, que levados de orgulho e de precipitação, soltam a língua a pascer. O que tanto na história de Rhiannon quanto na de Macha desencadeia os acontecimentos. A verdade é que a língua pode mais cortar a gorja que a lâmina mais afiada.

mar, pesca, naufraxio, Cabo Razo, Trasbach

O ‘Cabo Razo’ na lembranza

Era un día das festas na honra da Virxe de Exipto, cuxa capela pertence á parroquia de Abanqueiro, en Boiro. Todo o demais cae no reino da conxectura ou dentro das ficcións dunha memoria que, sesenta anos despois, segue sen esquecer a traxedia que se abateu sobre nós naquela data de infausto recordo.

Bursàrio, Bran, príncipes celtas

Quem quiser pontificar que faça as pontes

Dentre as histórias e figuras que temos na bolsa e que o conhecimento e a experiência (adquirida em boa proporção tanto à base de paus como de leituras), destacamos hoje a história com a miga do dito famoso de Bendigeit Bran, filho de Ler, rei da Ilha Grande da Bretanha num dos tempos remotos em que o Gales era o centro desse brumoso mundo atlântico, em que a divisão entre os seus, e a guerra com os parentes era a mesma, marcante continuidade e final ruína de todas as casas.

“Os galegos romanizaron aos galegos”

Antonio Rodríguez Colmenero é o gran arqueólogo moderno do país. Ten 80 anos, vive en Lugo, onde mantén a súa vinculación coa universidade, e vai cada vez que pode pasar a fin de semana a Lucenza, a aldea de Cualedro onde naceu, “unha gaiola preciosa sen paxaros”, di. Alí, ao pé do Larouco empezou a descubrir as pegadas do pasado e acabou profesando, tamén el, admiración e respecto polo monte sacro. Segue traballando na terra, en Saceda, alí mesmo onde comezou, e no Aquis Querquennis en Bande, cando as augas do encoro das Conchas están baixas, desde hai máis de media de vida.

Arquivo: historia

Não deixes a tua língua cortar a tua garganta

O bom conselho e o sentido comum não são respeitados pelos seus homens, que levados de orgulho e de precipitação, soltam a língua a pascer. O que tanto na história de Rhiannon quanto na de Macha desencadeia os acontecimentos. A verdade é que a língua pode mais cortar a gorja que a lâmina mais afiada.

mar, pesca, naufraxio, Cabo Razo, Trasbach

O ‘Cabo Razo’ na lembranza

Era un día das festas na honra da Virxe de Exipto, cuxa capela pertence á parroquia de Abanqueiro, en Boiro. Todo o demais cae no reino da conxectura ou dentro das ficcións dunha memoria que, sesenta anos despois, segue sen esquecer a traxedia que se abateu sobre nós naquela data de infausto recordo.

Bursàrio, Bran, príncipes celtas

Quem quiser pontificar que faça as pontes

Dentre as histórias e figuras que temos na bolsa e que o conhecimento e a experiência (adquirida em boa proporção tanto à base de paus como de leituras), destacamos hoje a história com a miga do dito famoso de Bendigeit Bran, filho de Ler, rei da Ilha Grande da Bretanha num dos tempos remotos em que o Gales era o centro desse brumoso mundo atlântico, em que a divisão entre os seus, e a guerra com os parentes era a mesma, marcante continuidade e final ruína de todas as casas.

“Os galegos romanizaron aos galegos”

Antonio Rodríguez Colmenero é o gran arqueólogo moderno do país. Ten 80 anos, vive en Lugo, onde mantén a súa vinculación coa universidade, e vai cada vez que pode pasar a fin de semana a Lucenza, a aldea de Cualedro onde naceu, “unha gaiola preciosa sen paxaros”, di. Alí, ao pé do Larouco empezou a descubrir as pegadas do pasado e acabou profesando, tamén el, admiración e respecto polo monte sacro. Segue traballando na terra, en Saceda, alí mesmo onde comezou, e no Aquis Querquennis en Bande, cando as augas do encoro das Conchas están baixas, desde hai máis de media de vida.